Saudades de vovó Socorro

Veja também: Saudades do velho Chico No último sábado sepultamos a matriarca da família Andrade, minha saudosa vovó Socorro, que vagarosamente desceu do alto dos seus 81 anos, deixando uma penca de filhos, netos e bisnetos espalhados por esse mundão. Reza a lenda que uma velha sertaneja raiz não morre: ela vai encolhendo, murchando e arqueandoContinuar lendo “Saudades de vovó Socorro”

A morte como ela é

Não é tão simples quanto parece: quando morremos, milhares de partes do nosso corpo estão na ativa tentando reverter o processo. E muita coisa ainda acontece depois que damos o último suspiro. É o que mostra esta matéria da Superinteressante. Quando Steven Thorpe chegou ao Hospital Universitário de Coventry, no Reino Unido, a equipe médica disse àContinuar lendo “A morte como ela é”

Saudades do velho Chico

Veja também: Saudades de vovó Socorro Ontem a tardinha sepultamos o patriarca da família Andrade, meu saudoso vovô Chico, que tombou do alto de seus 79 anos, deixando esposa e três gerações de Andrade espalhadas por esse mundão. Vindo do Sertão do Ceará para trabalhar na construção da malha ferroviária da Paraíba, sua personalidade expressavaContinuar lendo “Saudades do velho Chico”

O legado de João Ubaldo Ribeiro, Rubem Alves e Ariano Suassuna para a cultura brasileira

Julho de 2014 ficou marcado como um mês de luto para a literatura brasileira. Neste momento deve estar acontecendo um festival literário no além. Aparentemente, só isso pode explicar que, no espaço de apenas uma semana, tenhamos perdido três grandes escritores. Por ironia do destino, a semana que começou na última sexta-feira com a morte de João Ubaldo Ribeiro (diaContinuar lendo “O legado de João Ubaldo Ribeiro, Rubem Alves e Ariano Suassuna para a cultura brasileira”