A carta do cacique Seattle

Em 1854, o cacique Seattle, da tribo Suquamish, enviou esta carta ao então presidente dos Estados Unidos, Francis Pierce, depois de o Governo haver dado a entender que pretendia comprar o território ocupado por aqueles índios, no oeste do país. A carta tem mais de um século e meio, mas o desabafo do cacique é incrívelmente atual.Continuar lendo “A carta do cacique Seattle”

O besteirol dos 500 anos

Artigo de opinião do escritor baiano João Ubaldo Ribeiro (1941-2014), publicado no jornal O Estado de S. Paulo do dia 23 de abril de 2000, exatamente um dia depois das comemorações dos 500 anos de descobrimento do Brasil. Levando-se em conta nossa pitoresca realidade contemporânea, até que a quantidade de besteiras ditas e escritas sobre o controvertido aniversárioContinuar lendo “O besteirol dos 500 anos”

Como Andrés Ruzo descobriu que um rio fervente da Amazônia não era lenda

O peruano Andrés Ruzo sempre pensou que a existência de um rio fervente na Amazônia não passasse de uma lenda. Mas seu trabalho como geólogo – com uma bolsa da National Geographic – o levou a conhecer de fato essa maravilha natural, aonde ele “gostaria de levar todas as crianças do mundo para que vejamContinuar lendo “Como Andrés Ruzo descobriu que um rio fervente da Amazônia não era lenda”

Índios tupis-guaranis já viviam no Rio de Janeiro há quase 3 mil anos

O povo tupi-guarani já vivia na região de Araruama-RJ há 2.920 anos (a margem de erro é de 70 anos). Isso corresponde a aproximadamente 1.180 anos antes do que as evidências científicas indicavam até hoje. A descoberta, publicada nos Anais da Academia Brasileira de Ciências, embaralha as teorias que tentam explicar a dispersão dessa culturaContinuar lendo “Índios tupis-guaranis já viviam no Rio de Janeiro há quase 3 mil anos”

Sobre a prática de infanticídio em algumas tribos indígenas da Amazônia

Hoje é dia das crianças. Quero aproveitar a data para alertar sobre um triste fato do nosso Brasil: Enquanto a maioria das crianças brasileiras ganha presentes hoje, uma minoria indefesa está sendo cruelmente assassinada nas aldeias indígenas. Fiquei pasmo quando li numa matéria da Folha que o terrível costume indígena de enterrar crianças vivas – ou abandoná-lasContinuar lendo “Sobre a prática de infanticídio em algumas tribos indígenas da Amazônia”