Por que nossos bairros são tão feios?

Artigo de opinião de Wesley Satto.

Depois de ver como são os bairros nos Estados Unidos e no Canadá, percebi quão desorganizados e desagradáveis são os nossos bairros. Casas amontoadas, ruas sem calçadas, sem arborização. A falta de planejamento dos moradores para uma distribuição espacial adequada transforma nossos bairros numa verdadeira catástrofe urbanística.

Além da falta de infraestrutura e saneamento básico, que é um problema de responsabilidade dos governos, a maior causa da aparência desagradável dos nossos bairros é culpa dos próprios moradores. Desenvolvemos uma cultura de construir nossas casas de qualquer jeito, sem pensar na rua como um todo e no impacto que causará sobre o paisagismo. Muito provavelmente não sabemos a importância disso para a saúde também, que será prejudicada pela poluição visual. Isso fez com que cidades inteiras fossem edificadas nesse molde e, por conseguinte, um país inteiro como o Brasil é feito de bairros assim. De norte a sul, o urbanismo no Brasil segue o mesmo padrão. Se não mudarmos essa cultura agora, a tendência é ela se solidificar cada vez mais.

Enquanto isso, nos Estados Unidos os bairros seguem um padrão que privilegia a arborização. Resultado de um processo de expansão urbanística no século passado, esse modelo de Cidade-Jardim foi trazido da Inglaterra e se espalhou por todo o país. Em todos os bairros, as casas reservam um espaço frontal bastante confortável para a arborização e a construção das calçadas. Como não há muros e impermeabilização generalizada do solo, tem-se um ambiente mais verde, aberto, ventilado e prazeroso para se morar, trazendo uma sensação de conforto e tranquilidade, aproximando o homem de seu habitat natural que é a própria natureza, um poderoso remédio, diga-se de passagem, para o estresse da agitação urbana. Bairros assim, além de proporcionar mais saúde para o indivíduo, ajudam a combater problemas brasileiros típicos, como as ondas de calor que recaem sobre as cidades mais quentes e o problema das enchentes, causadas sobretudo pela ocupação desordenada do solo, que impede a absorção da água da chuva.

Mas por que nossos bairros seguem um padrão tão desagradável? Uma das principais causas, sem dúvida, é cultura herdada de nossos antepassados. Depois de uma pesquisa feita com a ajuda do Google Maps, percebi que todos os países latino-americanos seguem esse mesmo padrão, que por sua vez é igual ao padrão dos bairros dos seus países colonizadores, como Portugal e Espanha. Ao passo que os bairros americanos e canadenses são iguais aos bairros da Inglaterra, país colonizador dos Estados Unidos e Canadá. O aspecto cultural fica bastante evidente quando comparamos dois países bem próximos como os Estados Unidos e o México. Ao tomar duas cidades vizinhas na fronteira, como a mexicana Matamoros e a americana Brownsville, percebemos que não há sequer um quilômetro de distância entre elas, mas são incrivelmente separadas pela cultura, uma diferença claramente visível na estética dos bairros.

Por conta dessa herança cultural, cultivamos hábitos que explicam essa tragédia, e um deles sem dúvida são os muros. A forma indiscriminada como as pessoas constroem os muros transformam as residências em verdadeiras penitenciárias particulares. Muitos bairros brasileiros possuem casas lindíssimas, mas os muros são tão altos que enxergamos apenas o telhado das residências. Isso retira um dos principais fatores ornamentais da rua, que é a própria casa com sua arquitetura individual, que somada às outras casas formam um conjunto arquitetônico que embeleza a rua. Mas com muros por todos os lados o que temos são ruas onde a paisagem se resume a dezenas de metros de paredes monótonas que enclausuram seus moradores, transformando as ruas em ambientes vazios e sem vida, aumentando ainda mais a sensação de insegurança.

Outro hábito desastroso é não reservar um espaço frontal para a arborização da casa. Somado ao problema dos muros, o resultado é um impacto terrível para o paisagismo. Não preciso falar da importância da calçada em uma rua, mas ressalto que seria muito mais bonito adotarmos um padrão em toda a extensão da via, em vez de cada um fazer a calçada do jeito que quiser. Já a arborização é o fator chave na estética urbana. Sem dúvida, o principal fator de embelezamento de um bairro é a arborização. As pessoas sabem disso, mas na prática, por conveniência, preferem seguir o modelo que já está sendo adotado no seu bairro, o que resulta no estilo típico e nada agradável que já conhecemos. Essa é a razão porque condomínios horizontais fechados estabelecem normas rígidas sobre a construção e a reforma em suas residências, pois sabem da importância do paisagismo para a qualidade de vida.


Proponho uma experiência simples: Abra o Google Maps, escolha uma cidade brasileira qualquer e dê um zoom em um bairro residencial de classe média. Pela imagem de satélite, você provavelmente verá que a paisagem é predominantemente cinza (de cimento, concreto e asfalto) e marrom (dos telhados), com poucos pontos verdes (das árvores). Solte o bonequinho do Street View em uma rua qualquer e constatará que as casas são todas muradas e com grades. As calçadas são irregulares e desniveladas.

Mooca - SP
Mooca, bairro central de São Paulo

Agora escolha uma cidade aleatória dos Estados Unidos (ou de qualquer outro país desenvolvido no mundo) e dê um zoom em um bairro residencial também de classe média. Pela imagem de satélite, você provavelmente verá que a paisagem é predominantemente verde, por causa das muitas árvores e dos quintais gramados. Solte o bonequinho do Street View em uma rua qualquer e constatará que as casas não têm muros nem grades. As calçadas são todas padronizadas e planas.

Bronx - NYC
Bronx, distrito mais pobre de Nova York

Qual ambiente urbano você considera mais agradável para se viver? Certamente não é aquele com o qual estamos acostumados. Isso significa que precisamos repensar nosso urbanismo, nossa forma de organizar as cidades. É claro que, antes de mudar a cultura dos muros nas casas, precisamos garantir o mínimo de segurança pública. Mas há algo que já podemos começar imediatamente: a questão do verde, a arborização, o cultivo de jardins e gramados. Só isso já transforma surpreendentemente a paisagem urbana, deixando-a muito mais agradável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s